100%

Juízes e promotores afirmam ser necessário dialogar com gestores municipais sobre judicialização da saúde

A área técnica de saúde da Confederação Nacional de Municípios (CNM) dialogou com gestores gaúchos e catarinenses a respeito do subfinanciamento do setor e sobre estratégias para qualificar e diminuir a judicialização dos Municípios. Representantes da esfera jurídica do país participaram do encontro e discutiram o assunto ao abordar que os problemas estão relacionados e trazem complicações aos Municípios.

Em Santa Catarina, a técnica da entidade Carla Albert participou do XV Congresso Catarinense de Municípios, realizado de 14 a 16 de março na cidade de Joinville (SC). Na oportunidade, ela mostrou números que comprovam a defasagem dos valores repassados pelo Ministério da Saúde aos Municípios, e reforçou as palavras do presidente da Confederação, Paulo Ziulkoski, a respeito da não adesão a novos programas. Junto com essa temática foram tratados os Planos Municipais e a judicialização.

Integrantes do painel sobre qualificação e redução da judicialização, estiveram juntos com a representante da área técnica da CNM a professora doutora Lenir Santos e o juiz Federal Clenio Jair Schulze, titular da 1ª Vara Federal de Brusque (SC). Ambos apontaram o subfinanciamento da Saúde como uma das causas da judicialização.

Como forma de superar tal problema, o juiz federal mostrou os resultados alcançados com o Comitê Executivo da Saúde em Santa Catarina, no qual gestores das esferas de governo e operadores do Sistema de Justiça desenvolveram parâmetros para ingresso das ações.

Essa metodologia utilizada em Santa Catarina, a formação de comitês, está de acordo com as respectivas recomendações do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) e do Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP), 238/2016, 125/2010 e 48/2017. A CNM tem primado pela formação de Comitês Locais e Estaduais como forma de superar os problemas causados aos Municípios pela judicialização das Políticas Públicas.

Reduzindo os problemas
Nesse sentido, em Porto Alegre (RS), em parceria com os atores do Sistema de Justiça estadual e federal, foi apresentada na Associação dos Juízes do Rio Grande do Sul (AJURIS) o piloto do Termo de Cooperação Nacional para qualificar e diminuir a judicialização em várias políticas públicas como educação, saúde e meio ambiente. A metodologia de atuação segue as premissas do Planejamento e Gestão Sistêmicos (PGS), o mesmo já defendido pela CNM, através da atuação em redes com o estabelecimento de Comitês Locais e Estaduais.

Naquele estado, a Defensoria Pública Estadual tem apresentado a redução do número de ações ingressadas contra Municípios. Esse resultado foi possível pela atuação no âmbito administrativo, ou seja, a resolução da demanda junto aos gestores sem a necessidade e ingressar com ações. Caso a demanda do cidadão levada à DPE tenha que ser judicializada, essa medida tem que cumprir parâmetros rigorosos.

Para visualizar os 10 Passos para Diminuir a Judicialização, clique aqui.


Fonte: Portal CNM - Confederação Nacional de Municípios

Notícias

XXII Marcha: Prefeitos buscam inovação para Municípios em na Exposição
XXII Marcha: Prefeitos buscam inovação para Municípios em na Exposição

Credenciamento feito, o participante já entra direto na XI Exposição de Produtos, Serviços e Tecnologias. No espaço, encontra uma variedade de serviços e oportunidades para implementar no Município. O evento faz parte da XXII Marcha a Brasília em Defesa dos Municípios, que tem início nesta segunda-feira 8 de abril, e se estende até o dia 11. Um dos primeiros a realizar o credenciamento, o prefeito de Chuí (RS), Marco Antônio Vasques Rodrigues Barbosa, quis chegar cedo para...

Câmara dos Deputados recebe sugestões para anteprojetos sobre barragens
Câmara dos Deputados recebe sugestões para anteprojetos sobre barragens

Gestores municipais e a população podem contribuir com oito anteprojetos que estão em análise no Congresso Nacional referentes à segurança das barragens de rejeitos da mineração. As propostas são da comissão externa da Câmara dos Deputados que investiga a tragédia socioambiental em Brumadinho (MG), e os parlamentares esperam receber as sugestões e colocar os textos para votação até o final de abril. Entre os pontos abordados, os anteprojetos aperfeiçoam as normas para...

Turismo é responsável por 8% da economia, participação no PIB cresce
Turismo é responsável por 8% da economia, participação no PIB cresce

A participação do Turismo no Produto Interno Bruto (PIB) nacional cresceu, nos últimos anos, e o setor já é responsável por mais de 8% da economia, com a cerca de 7 milhões de trabalhadores empregados. Os números foram mostrados pelo estudo do Conselho Mundial de Viagens e Turismo (WTTC, na sigla em inglês), que evidência o discurso e o trabalho da Confederação Nacional de Municípios (CNM), no sentido de mostrar os benefícios do setor para a economia e para a geração de...

Confederação apresenta emendas ao projeto que cria a Gestão Compartilhada
Confederação apresenta emendas ao projeto que cria a Gestão Compartilhada

Proposta com o objetivo de facilitar o acompanhamento orçamentário, financeiro e físico da execução de obras, da prestação de serviços públicos e da aquisição de materiais e equipamentos pelo cidadão acaba de receber contribuição da Confederação Nacional de Municípios (CNM) a fim de garantir a execução por parte da administração municipal. Por meio de uma articulação com o líder do maior bloco partidário da Câmara dos Deputados, o deputado Elmar Nascimento (DEM-BA),...

Dia da Mulher: planejamento com enfoque em gênero torna espaços públicos mais seguros e inclusivos
Dia da Mulher: planejamento com enfoque em gênero torna espaços públicos mais seguros e inclusivos

Planejar as cidades e desenvolver espaços públicos sob uma perspectiva de gênero pode parecer complexo e até restritivo, mas alguns exemplos na América Latina e do Norte, incluindo o Brasil, têm mostrado como tornar os centros urbanos mais seguros e inclusivos para as mulheres. Segundo o Pacto Global de Prefeitos pelo Clima e Energia, as ações podem começar com a reavaliação da infraestrutura e de elementos como sinalização, visibilidade ou vigilância, que impactam diretamente...

Programas de erradicação da pobreza podem ser avaliados por índice multidimensional
Programas de erradicação da pobreza podem ser avaliados por índice multidimensional

Um critério técnico para avaliar o cumprimento pelo Brasil da erradicação da pobreza, um dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), pode ser criado se o Projeto de Lei (PL) 218/2019 for aprovado pelo Congresso e sancionado pela presidência da República. A proposição determina que os resultados dos projetos criados pelo governo, com essa finalidade, sejam medidos e monitorados por índice multidimensional da pobreza. O projeto será analisado em caráter conclusivo pelas...