100%

CNM parabeniza presidente eleito e destaca a regulamentação do pacto

O processo eleitoral 2018 finalizou no domingo, 28 de outubro, com a definição dos nomes do próximo presidente da República e de 13 governadores de Estados, além do Distrito Federal (DF). Com 55,1% dos votos válidos, Jair Messias Bolsonaro (PSL) será o próximo chefe do Executivo Federal. O presidente da Confederação Nacional de Municípios (CNM), Glademir Aroldi, parabeniza o vencedor e reforça o importante momento para os Municípios brasileiros, já que, na sua campanha, o eleito foi enfático em afirmar que quer mais Brasil e menos Brasília e isto significa que os governos locais serão fortalecidos com recursos financeiros e técnicos para executar as políticas públicas.

“Nossa expectativa é que possamos regulamentar de uma vez por todas, as competências do pacto federativo através de uma relação mais próxima”, disse. Para Aroldi, é importante construir um diálogo com o futuro governo para que as dificuldades que freiam o atendimento da população, nos Municípios, principalmente em decorrência da escassez de recursos, sejam solucionadas. O presidente da CNM reitera que o movimento municipalista tem muito a contribuir com o próximo governo. “São vários assuntos que nos preocupam e para os quais temos sugestões viáveis de solução”, disse o presidente da CNM. Como exemplo, ele menciona o Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb), que é o maior fundo do país e que encerra em 2020 e que comprovou ser um bom instrumento para o financiamento da educação básica, mas que precisa ser aprimorado.

“A União deve ter uma participação maior na formação desse Fundo. Não dá para deixar apenas para Estados e Municípios o financiamento da educação básica pois as desigualdades são gritantes e estão presentes em todas as regiões do país”, defende o presidente da CNM, ao lembrar que 60% do valor saem de recursos dos Municípios, 30% do caixa dos Estados e apenas 10% é a participação da União. Outro caso emblemático é o da saúde, em que os governos locais acabam investindo uma média de 22% de seus orçamentos com o setor, enquanto, o limite constitucional estabelecido é de 15% da receita municipal.

“Há Municípios que investem 35, 37 e até 38% de seu orçamento em saúde. Esta despesa que não é responsabilidade dos governos locais, prejudica a organização da administração municipal pois outras atividades de responsabilidade dos Municípios deixam de ser realizadas por força destas urgências inadiáveis, mas que não são em regra responsabilidade do ente local. É claro que o que falta, é investimento por parte do governo federal”, disse Aroldi. Em relação à regulamentação do pacto federativo, o presidente da CNM aponta os avanços obtidos, ao longo dos anos, mas ainda é preciso deixar claro quais as competências de cada um dos Entes federados. “Quais as responsabilidades da União, dos Estados e dos Municípios, e, na mesma proporção, a participação no bolo tributário e a definição da fonte de custeio para arcar com uma a uma dessas atribuições”, reforça.

Segundo Aroldi, o que acontece é exatamente o contrário. “Ao longo dos últimos anos, transferiram responsabilidades que eram dos Estados e da União para os Munícipios e não transferiram, na mesma proporção, a participação no bolo tributário. É essa a regulamentação que precisamos fazer. As competências estão listadas no art. 23 da Constituição, mas a regulamentação prevista no parágrafo único, ainda aguarda pela ação efetiva do governo federal e do Congresso Nacional “disse o presidente da CNM.

Regulamentação
“É isso que nós buscamos, uma maior autonomia para os Municípios e a regulamentação, tão falada, desse pacto, de uma vez por todas. Nós, prefeitos e prefeitas do Brasil queremos contribuir com o país”, reafirma o líder municipalista ao reforçar: “é essa relação que queremos com o governo, essa possibilidade de poder sentar numa mesma mesa e colocar os nossos dados, as nossas informações, as nossas propostas e como pensamos cada situação”.

Logo após a confirmação da vitória, em seu primeiro discurso como presidente eleito, Bolsonaro disse que seu governo quebrará paradigmas e reafirmou o compromisso assumido durante a XXI Marcha a Brasília em Defesa dos Municípios, em maio. “O governo respeitará, de verdade a federação. As pessoas vivem nos Municípios, portanto os recursos federais irão diretamente do governo central para Estados e Municípios”. Ainda em sua fala, o futuro presidente reafirmou uma das frases de sua campanha, “Mais Brasil e menos Brasília”, para se referir à necessidade de repensar o pacto federativo e ao grande propósito do seu programa de governo.

Da Agência CNM de Notícias


Fonte: Portal CNM - Confederação Nacional de Municípios
Protocolos desta Publicação:Criado em: 30/10/2018 - 09:21:37 por: Silvane Correia Biff Figueiro - Alterado em: 30/10/2018 - 09:21:37 por: Silvane Correia Biff Figueiro

Notícias

Luta pelo avanço de pautas municipalistas reunirá centena de gestores em Brasília
Luta pelo avanço de pautas municipalistas reunirá centena de gestores em Brasília

Centenas de gestores municipais já confirmaram presença para a Mobilização Municipalista da próxima semana – dias 19 e 20 de novembro. Mais de 80 mil pessoas já registraram apoio ao abaixo-assinado pelo julgamento dos royalties que será entregue ao Supremo Tribunal Federal (STF) durante o evento. Encabeçada pela Confederação Nacional de Municípios (CNM), a iniciativa vai reunir os municipalistas com os três Poderes para que os Municípios possam solicitar o avanço das pautas...

Aprovado pelo Senado, reajuste de 16,38% para ministros do STF aguarda sanção ou veto
Aprovado pelo Senado, reajuste de 16,38% para ministros do STF aguarda sanção ou veto

De forma inesperada e sem seguir a normalidade dos parâmetros regimentais, o Plenário do Senado Federal aprovou o reajuste de salários dos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) e do Procurador-Geral da República (PGR) dos atuais R$ 33,7 mil para R$ 39,2 mil. Para garantir o aumento de 16,38%, que pode ser retroativo, os senadores deliberaram sobre os Projetos de Lei da Câmara (PLC) 27/2016 e 28/2016. O reajuste aguarda sanção ou veto presidencial. Por estabelecer o teto do...

CNM parabeniza presidente eleito e destaca a regulamentação do pacto
CNM parabeniza presidente eleito e destaca a regulamentação do pacto

O processo eleitoral 2018 finalizou no domingo, 28 de outubro, com a definição dos nomes do próximo presidente da República e de 13 governadores de Estados, além do Distrito Federal (DF). Com 55,1% dos votos válidos, Jair Messias Bolsonaro (PSL) será o próximo chefe do Executivo Federal. O presidente da Confederação Nacional de Municípios (CNM), Glademir Aroldi, parabeniza o vencedor e reforça o importante momento para os Municípios brasileiros, já que, na sua campanha, o...

Prefeitos de 18 Municípios foram escolhidos em eleição suplementar; conheça os novos gestores
Prefeitos de 18 Municípios foram escolhidos em eleição suplementar; conheça os novos gestores

Cidadãos de Municípios do Ceará, São Paulo, Goiás, Mato Grosso, Amazonas, Santa Catarina, Rio de Janeiro e Rio Grande do Sul também conheceram seus representantes do Executivo local no último domingo, 28 de outubro. As eleições suplementares para a escolha dos novos gestores ocorreram em 18 cidades desses Estados. Os prefeitos eleitos irão cumprir mandato tampão até o fim de 2020. Em Goiás, eleitores de cinco Municípios foram às urnas escolher os prefeitos. Tarcio Dutra...

Ministro do TCU aconselha Municípios a tentarem congelar FPM na Justiça ou por MP
Ministro do TCU aconselha Municípios a tentarem congelar FPM na Justiça ou por MP

Pleito do movimento municipalista referente ao Fundo de Participação dos Municípios (FPM) recebeu mais um reforço. O coordenador da Frente Parlamentar Municipalista da Assembleia Legislativa do Rio Grande do Sul, deputado Gilmar Sossella (PDT), se reuniu com o ministro-presidente do Tribunal de Contas da União (TCU), Raimundo Carreiro. O parlamentar veio à Brasília para pedir o congelamento do FPM para não prejudicar algumas administrações locais. A demanda surgiu após...

UniverCidades chega a Rio Grande (RS) com colaboração entre Municípios e ensino superior
UniverCidades chega a Rio Grande (RS) com colaboração entre Municípios e ensino superior

Foi realizada nesta quinta-feira, 25 de outubro, no campus da Universidade Federal do Rio Grande (FURG), mais uma etapa do Diálogos UniverCidades. A iniciativa, da Confederação Nacional de Municípios (CNM) em parceria com a União Europeia, aproxima gestores municipais de representantes de instituições de ensino. O evento promoveu o debate sobre experiências inovadoras em gestão municipal e parcerias com o meio universitário. O Diálogos reuniu, no Município gaúcho de Rio Grande,...