100%

Aprovado pelo Senado, reajuste de 16,38% para ministros do STF aguarda sanção ou veto

De forma inesperada e sem seguir a normalidade dos parâmetros regimentais, o Plenário do Senado Federal aprovou o reajuste de salários dos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) e do Procurador-Geral da República (PGR) dos atuais R$ 33,7 mil para R$ 39,2 mil. Para garantir o aumento de 16,38%, que pode ser retroativo, os senadores deliberaram sobre os Projetos de Lei da Câmara (PLC) 27/2016 e 28/2016. O reajuste aguarda sanção ou veto presidencial.

Por estabelecer o teto do funcionalismo público, o aumento nos salários dos ministros pode acarretar um \"efeito cascata\" nas contas públicas. Segundo cálculos de consultorias da Câmara dos Deputados e do Senado, o reajuste pode causar impacto de R$ 4 a R$ 6 bilhões nas contas públicas, nos próximos anos. As duas matérias receberam 41 votos favoráveis, 16 contrários e uma abstenção. Agora, precisam ser sancionadas pelo Presidente da República, Michel Temer, para que os aumentos passem a valer.

Apesar da polêmica gerada, pela celeridade em que a matéria foi deliberada, o presidente do Senado, Eunício Oliveira (MDB-CE), nega que estes projetos tenham sido pautados às escondidas ou de surpresa. No entanto, confirma que houve solicitação para que as propostas fossem votadas. “Houve um requerimento de urgência, aprovado, e foi automaticamente incluída na ordem do dia. Essa matéria não foi incluída de ofício, mas atendendo a deliberação do Plenário desta Casa transparentemente”, explicou na ocasião.

Para os integrantes da Corte, o reajuste repõe a perda nos contracheques com a inflação e não seria necessariamente um \"aumento salarial”. Esse entendimento tem sido mencionado pelo presidente do STF, ministro Dias Toffoli, que elogiou a aprovação do reajuste. No entanto, desde que a matéria foi aprovada, diversas ações contrárias ao aumento, principalmente em um momento de déficit das contas públicas, têm sido promovidas por setores da sociedade para que Temer não sancione o reajuste.

Manifestações
Manifestações nas redes sociais e abaixo-assinado digital, que já conta com mais de 2 milhões de assinaturas, têm questionado a aprovação por parte dos senadores e o fato de a medida abrir brecha para aumento dos proventos dos próprios parlamentares. Ação civil pública e ação popular – contra o reajuste – também foram propostas na Justiça Federal de Brasília e no Senado, respectivamente. Essa última alega que o aumento afronta a Lei Complementar nº101/2000, de Responsabilidade Fiscal (LRF), e o princípio da moralidade.

A Federação Catarinense de Municípios (Fecam) divulgou nota de repúdio e diz que os Municípios do Estado cobram veto ao aumento. “Inaceitável e inadmissível”, destacou a atual presidente da Entidade, Sisi Blind, também prefeita de São Cristóvão do Sul. “Isso causará um efeito bilionário na economia brasileira enquanto recursos de convênios em favor dos Municípios são cancelados com a alegação de falta de dinheiro. A sociedade brasileira não aguenta mais”, enfatizou a representante estadual.

Histórico
Em 2015, o então presidente do STF, Ricardo Lewandowski, enviou projeto de reajuste ao Congresso Nacional. A matéria foi aprovada pela Câmara, em 2016, e ficou parada no Senado até agora. Nos últimos dois anos, a ministra Carmen Lúcia, presidente da Corte manifestou-se contrária ao reajuste e a inclusão dele no orçamento, em razão da crise fiscal. Contrariando a posição da então presidente em exercício, a maioria do tribunal decidiu incluir a proposta de aumento no orçamento de 2019, durante sessão administrativa ocorrida em agosto deste ano.

Leia mais

Aumento do STF pode causar efeito cascata e impactos diversos

Por: Raquel Montalvão
Foto: Nelson Jr. e Carlos Moura/SCO/STF; Jefferson Rudy/Ag. Senado
Da Agência CNM de Notícias, com informações do Senado, Estadão e STF


Fonte: Portal CNM - Confederação Nacional de Municípios
Protocolos desta Publicação:Criado em: 12/11/2018 - 13:26:01 por: Silvane Correia Biff Figueiro - Alterado em: 12/11/2018 - 13:26:01 por: Silvane Correia Biff Figueiro

Notícias

Representantes de diversas localidades do mundo debatem sobre implementação do ODS
Representantes de diversas localidades do mundo debatem sobre implementação do ODS

Os participantes da Oficina Internacional Implementação dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) marcaram presença em um webinar, que é uma webconferência no qual a comunicação é de uma via apenas, ou seja, somente uma pessoa se expressa e as outras assistem. A webconferência foi promovida em parceria com a Organização Mundial Cidades e Governos Locais Unidos (CGLU). A diretora da Organização, Sara Hoelfich, iniciou a explicação reforçando a importância de que...

Mais Médicos: 53% dos profissionais com registro no Brasil já se apresentaram nos Municípios
Mais Médicos: 53% dos profissionais com registro no Brasil já se apresentaram nos Municípios

Pelo menos 53% dos profissionais da medicina que possuem registro no Brasil já se apresentaram nos Municípios escolhidos, segundo balanço do edital de convocação do Programa Mais Médicos do Ministério da Saúde. De acordo com os números fechados nesta segunda-feira, 10 de dezembro, 4.508 médicos compareceram ou iniciaram as atividades nas localidades. Sexta-feira, dia 14, é a data limite para apresentação dos profissionais nas cidades selecionadas. Após esse processo, a data de...

Municípios têm até dia 5 de dezembro para regularizar documentação do PAC no Sismob
Municípios têm até dia 5 de dezembro para regularizar documentação do PAC no Sismob

A Confederação Nacional de Municípios (CNM) alerta aos Municípios com obras do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) que têm indicativo de conclusão ou estão em vias de concluir precisam regularizar documentação no Sistema de Monitoramento de Obras (Sismob). O prazo para responder às diligências é até 5 de dezembro de 2018. A CNM alerta que caso as obras estejam paralisadas ou sem resposta do Município, serão canceladas. Em alguns casos foi identificado que a obra...

Recursos liberados para o Turismo, de R$ 243 milhões, devem ser aplicados ainda este ano
Recursos liberados para o Turismo, de R$ 243 milhões, devem ser aplicados ainda este ano

Mais R$ 243 milhões para o Turismo foram liberados e devem ser aplicados ainda este ano, para financiamento do setor de viagens e turismo. Com a verba destinada ao Fundo Geral de Turismo (Fungetur), gerenciado pelo Ministério do Turismo, o orçamento da área sobe dos atuais R$ 43,2 milhões para cerca de R$ 286,4 milhões. A Confederação Nacional de Municípios (CNM) acredita que a verba vai impulsionar iniciativas e projetos em diversas localidades do país. Os recursos suplementares...

Saldo em conta: CNM comemora ferramenta para consulta ao Fundo de Saúde
Saldo em conta: CNM comemora ferramenta para consulta ao Fundo de Saúde

A Confederação Nacional de Municípios (CNM) informa que o Fundo Nacional de Saúde (FNS) disponibilizou nesta quinta-feira, 29 de novembro, uma nova ferramenta disponível na página inicial do portal FNS. O instrumento permite a consulta de saldo de contas correntes de Fundos de Saúde. Com a ferramenta, o gestor pode verificar a existência de contas correntes abertas pelo Fundo no Banco do Brasil e na Caixa Econômica Federal que receberam repasses efetuados na modalidade fundo a fundo...

DENGUE, HIV e AIDS.
DENGUE, HIV e AIDS.

A Secretaria Municipal De Saúde juntamente com as agentes comunitárias e os responsáveis pelo Programa de Combate a Dengue, Vandriele e Genoveva, realizaram na manha deste dia 29 de novembro a entrega de material educativo com os temas: Dengue , HIV e AIDS . As entregas serão realizadas nos comércios Morrograndenses e para população em geral.
Prevenção nunca é demais!