100%

Dia da Mulher: planejamento com enfoque em gênero torna espaços públicos mais seguros e inclusivos

Planejar as cidades e desenvolver espaços públicos sob uma perspectiva de gênero pode parecer complexo e até restritivo, mas alguns exemplos na América Latina e do Norte, incluindo o Brasil, têm mostrado como tornar os centros urbanos mais seguros e inclusivos para as mulheres. Segundo o Pacto Global de Prefeitos pelo Clima e Energia, as ações podem começar com a reavaliação da infraestrutura e de elementos como sinalização, visibilidade ou vigilância, que impactam diretamente na segurança.

A Confederação Nacional de Municípios (CNM) e o Movimento Mulheres Municipalistas (MMM) destacam a importância de iniciativas que busquem reduzir as desigualdades entre a população do sexo feminino e masculino. Da mesma forma, ressalta a necessidade de acabar com a vulnerabilidade e as dificuldades de acesso do primeiro grupo em diferentes áreas, como emprego, educação, transporte, saúde e assistência social. Neste 8 de março, quando se comemora o Dia Internacional da Mulher, o debate se faz ainda mais oportuno.

Para a entidade municipalista, a pauta de gênero nas tomadas de decisão abrange desde a participação da mulher nos processos decisórios até o fortalecimento das redes de oportunidades e a execução de projetos habitacionais para melhorar a localização e integração dos serviços urbanos. As medidas reduzem a vulnerabilidade social, as violências e os abusos, inclusive nos transportes públicos, que representam um dos espaços mais significativos de ocorrência. Além disso, a discussão de gênero e de espaços inclusivos está vinculada à Agenda 2030, aos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS) e a Nova Agenda Urbana.

Histórico e oportunidades
Em artigo da revista brasileira Administração Municipal, Clémentine Tribouillard e Sofiane Karroum destacam que, historicamente, o planejamento das cidades tem sido realizado por homens – governantes ou técnicos –, o que limitou a inclusão das mulheres. Baseados em estudos da ONU-Habitat, os autores constatam que as mulheres mudam seus hábitos mais do que os homens e que elas não são sistematicamente consultadas como usuárias do espaço público para melhorá-lo.

  O planejamento e a gestão dos espaços públicos, portanto, precisam ser pensados a partir de uma perspectiva de gênero para tornar a vida delas mais seguras nas cidades. Entre as localidades que estão tentando mudar essa realidade está o Canadá, cujo plano de desenvolvimento urbano chamado Segurança-urbanismo foi concebido para melhorar a segurança nas áreas urbanas.

O documento enfatiza a importância da sinalização, da visibilidade e da vigilância formal. Vale destacar que a relação entre iluminação e segurança é diretamente proporcional e que não só câmeras de vigilância, como órgãos de segurança, telefones públicos, campainhas de alarme ou pontos de recepção contribuem para diminuir a exposição das mulheres a situações de insegurança.

Também no Canadá, a empresa de transporte de Toronto reavaliou os espaços metropolitanos e rodoviários por meio de uma auditoria de segurança feminina, que definiu algumas melhorias. Entre elas, aumentar a iluminação, fazer paradas de ônibus transparentes, adicionar botões para chamadas de emergência e telefones públicos e elevadores para acesso mais fácil e seguro.

América latina
O Brasil, ainda que avance a passos lentos, tem exemplos de boas práticas. Dados do governo de São Paulo de abril de 2018 mostram que o Estado conta com 133 Delegacias de Defesa da Mulher (DDMs), sendo nove na capital, 19 na Região Metropolitana e 108 no interior e litoral. Para se ter uma ideia, SP abriga 36% de todas as DDMs no Brasil. A primeira foi instalada ainda em 1985 e, em 2016, passou a funcionar 24 horas por dia, durante os sete dias da semana.

A legislação brasileira determina ainda a segurança da posse, isto é, a prioridade na titulação da moradia social e em processos de regularização fundiária. O fato de o registro ser feito, preferencialmente, em nome da mulher é medida protetiva, em especial, às mulheres vítimas de violência doméstica. Isso porque a insegurança da posse da terra e da habitação pode ser fatal: muitas as mulheres não conseguem pôr um fim à relação com o agressor por não verem alternativa viável de habitação para si e para seus filhos. Conheça a publicação da ONU Direto das Mulheres à Moradia 

Em algumas capitais brasileiras, assim como na Cidade do México, a área de transporte público é que foi reformulada para coibir os casos de assédio e importunação sexual. Além dos vagões exclusivos para mulheres no metrô e em trens em horários de maior movimento, há programas para combater a violência de gênero, centros de atendimento voltado para mulheres e crianças, botões do pânico e apitos para alerta.

Países como Índia, Quênia, Camarões e Nepal se aproveitaram da tecnologia e da cultura colaborativa e adotaram ferramentas para reduzir a insegurança. São sites e aplicativos, a exemplo do Safecity, em que os próprios usuários fornecem dados sobre as condições espaciais e territoriais, para ajudar as mulheres a planejarem seus trajetos e rotas com segurança.

Gestão local
O Pacto Global de Prefeitos pelo Clima e Energia  tem propósito ajudar os governos locais na transição para uma economia de baixo carbono e na identificação do impacto global. A coalizão compreende mais de 9.149 cidades em 6 continentes e 120 países, representando mais de 700 milhões de pessoas ou 10% da população mundial.

Em parceria com a União Europeia, a CNM, por meio do Movimento Mulheres Municipalistas (MMM), que também apoia o Pacto de Prefeitos, executou o projeto Mulheres Seguras. O Guia de Reaplicação do projeto pode ser acessado na Biblioteca da CNM. A publicação também está disponível em espanhol.

Por: Amanda Maia

Da Agência CNM de Notíciascom informações do Pacto Global de Prefeitos

 


Fonte: Portal CNM - Confederação Nacional de Municípios
Protocolos desta Publicação:Criado em: 11/03/2019 - 13:23:36 por: Silvane Correia Biff Figueiro - Alterado em: 11/03/2019 - 13:23:36 por: Silvane Correia Biff Figueiro

Notícias

Projeto visa sustar portaria do Tesouro que inclui despesas com OCS no limite de gastos de pessoal
Projeto visa sustar portaria do Tesouro que inclui despesas com OCS no limite de gastos de pessoal

Com apoio e atuação da Confederação Nacional de Municípios (CNM), o deputado federal Pedro Westphalen (PP-RS) apresentou projeto de decreto legislativo para sustar a Portaria 233/2019 do Tesouro Nacional. O documento impôs regras transitórias para rotinas contábeis, incluindo despesas de pessoal com Organizações da Sociedade Civil (OCS) no cálculo do montante dos Entes Federados que as contratam.  A medida do Tesouro apresenta grande impacto nos Municípios, principalmente...

CNM participa da 27ª CTCONF, contabilistas e gestores municipais podem acompanhar ao vivo
CNM participa da 27ª CTCONF, contabilistas e gestores municipais podem acompanhar ao vivo

De 7 a 10 de maio está acontecendo na Escola Nacional de Administração Pública (Enap), em Brasília, a 27ª reunião da Câmara Técnica de Normas Contábeis e de Demonstrativos Fiscais da Federação (CTCONF), responsável por subsidiar as normas gerais relativas à consolidação das contas públicas até que seja criado o Conselho de Gestão Fiscal. A reunião acontece duas vezes por ano.Entre os temas discutidos nesta edição estão os aspectos contábeis e fiscais referentes aos...

CNM celebra Dia Nacional do Turismo e destaca ações para a melhoria da atividade nos Municípios
CNM celebra Dia Nacional do Turismo e destaca ações para a melhoria da atividade nos Municípios

A Confederação Nacional de Municípios (CNM) celebra nesta quarta-feira, 8 de maio, o Dia Nacional do Turismo. A entidade destaca o potencial turístico das cidades brasileiras e reforça a importância do incentivo às ações que tenham o propósito de fortalecer as atividades turísticas como alternativa de incremento de receitas para a administração municipal. A entidade lembra que o Turismo envolve mais de 50 atividades econômicas em todo o país. Por isso, tem trabalhado...

Equipe do CNM Qualifica encerra o mês em Florianópolis (SC) com debates sobre alternativas para a gestão da Saúde
Equipe do CNM Qualifica encerra o mês em Florianópolis (SC) com debates sobre alternativas para a gestão da Saúde

A última edição do CNM Qualifica deste mês começou nesta segunda-feira, 29 de abril, na cidade de Florianópolis, em Santa Catarina. As alternativas para a gestão da saúde básica foram os temas centrais do encontro que reuniu mais de cem gestores de várias cidades do Estado. O evento está sendo promovido pela Confederação Nacional de Municípios (CNM) em parceria com a Federação Catarinense de Municípios (Fecam). A CNM foi representada pelos consultores Hugo Lembeck e Carla...

CNM incentiva participação de gestores em curso online sobre transparência local
CNM incentiva participação de gestores em curso online sobre transparência local

A Organização dos Estados Americanos (OEA), em conjunto com a Federação Latino-americana de Cidades, Municípios e Associações de Governos Locais (Flacma), está promovendo um curso sobre transparência local com a intenção de conhecer a importância do governo aberto e as ferramentas disponíveis para a implementação do mesmo em nível municipal. A Confederação Nacional de Municípios (CNM) incentiva a participação no curso devido à importância de conhecer e utilizar a...

CNM pede ação do STF contra bloqueio de recursos dos Municípios por causa de precatórios
CNM pede ação do STF contra bloqueio de recursos dos Municípios por causa de precatórios

Diante do bloqueio e sequestro de recursos dos Municípios — até mesmo de contas vinculadas — devido a precatórios, o presidente da Confederação Nacional de Municípios (CNM), Glademir Aroldi, participou de audiência no Supremo Tribunal Federal (STF) com o ministro Marco Aurélio no início da noite desta terça-feira, 23 de abril. O objetivo é sensibilizar a Corte sobre a impossibilidade financeira das prefeituras de arcar com o pagamento sem que o governo federal cumpra a Emenda...

Meio ambiente e finanças municipais são temas do CNM Qualifica em Aracaju e Cuiabá
Meio ambiente e finanças municipais são temas do CNM Qualifica em Aracaju e Cuiabá

Gestores dos Estados de Sergipe (ES) e Mato Grosso (MT) começaram a semana com troca de conhecimento e experiências sobre finanças municipais e meio ambiente, com o CNM Qualifica. A capital sergipana recebeu nesta segunda-feira, 22 de abril, o consultor da Confederação Nacional de Municípios (CNM) Eudes Sippel. Enquanto o consultor Valtemir Goldmeier estará em Cuiabá na segunda e na terça-feira, 23, para falar da gestão ambiental. Em Aracaju, a parceria com a Federação dos...